Ah uma Brasa |oo - vw - oo| um ano de BrasaBlue

escrito por Fabi Estiga nesta data  21. agosto 2017 23:29

Num primeiro momento eu achei que estava louco, subindo a serra pra buscar uma Brasília velha. Pra mim não era velha, era apenas uma Brasília, porém quem olha um carro assim acha simplesmente que ela é velha.

Eu tinha acabado de voltar de São Paulo, uma semana de trabalho, antes disso tinha ido até Itu para a abertura do Brasileiro. No total foram 10 dias fora. Cheguei no sábado em casa, segunda combinei com o antigo proprietário, olhei, andei e voltamos pra casa juntos. Ou quase isso. Ela veio junto com um Mini Cooper.

Isso foi dia 15 de agosto de 2016. De lá pra cá eu me apaixonei perdidamente por ela e pelos aircooleds. Já era apaixonado pelo Fusca branco 79 do meu avô, mas esse carro foi uma imersão profunda num mundo que sempre me fez falta. Eu um adorador de carros, que na infância devorava revistas quatro rodas e desenhava compulsivamente veículos, tinha achado um novo caminho.

Nesse ano muita coisa mudou. Nós dois e tudo em volta. Foram muitas coisas mesmo. O Agility mudou pra mim. Minha principal atividade nos últimos 10 anos passou a ser pouco provável para o futuro. Diria que até viável. Loucura por loucura, eu penso sempre no que me faz menos mal.

Me dá orgulho de ver ela assim. Toda bonitona, embora não esteja pronta. Falei isso ainda hoje que talvez nunca fique. Mas pensar nesse carro, em cada detalhe dela, apartar cada parafuso, que escolhi na loja, colocar a borracha que não tem no original, pintar aquele ponto do carro de outra cor pra dar um destaque ali e aqui... tudo isso me deixou mais calmo.

Creiam, hoje eu levo a vida melhor do que levava há um ano atrás. Tudo isso graças a Brasablue. Brigado!



Tags:

Ah uma Brasa

#ontheroad - Picada Café

escrito por Fabi Estiga nesta data  9. agosto 2017 14:26

(eu sempre tirei onde com dinheiro ou sem dinheiro, meu dinheiro minha loucura, minha loucura meu dinheiro/Gravataí 17 graus) Domingo a gente foi até Picada Café, comboio com a galera do IVC (Independente Volks Clube). Levanta 6 horas da manhã pra rodar de Fusca uns 80km.

Nunca tinha andado tanto com esse Fusca. A última viagem foi pra Guaíba, também com o pessoal do IVC, mas essa foi mais longa e ainda tinha a serra!!! Por mais inscrível que possa ser eu nunca, NUNCA, havia dirigido um Fusca em uma serra. 20 anos dirigindo e nunca.

Enfim, pra tudo existe uma primeira vez e comentava com o Márcio (mestre dos aircooleds) que é incrível como você trabalha. Vira o volante e ele não vira, freia e o carro não freia, depois freia demais, vira sem precisar. Santa indecisão Batman...

Mais um encontro de Carros, acho que é o quinto, e mais histórias de estrada. Abaixo um vídeo da viagem.



Tags: , ,

On the Road

Lew is - 12 meses

escrito por Fabi Estiga nesta data  9. agosto 2017 14:07

(tive pensando em mudar, sem te deixar pra trás/Gravataí 17 graus) Nem ia escrever, mas se até a Vívian descomputada escreveu, eu não poderia deixar assim.

Lew completou um ano ontem, e parece que foi outro dia que vi as fotinhos da ninhada. Era Clarice Linspector, e só isso já serviu pra me chamar a atenção. O nome da ninhada era toda de escritores modernistas. Nunca li uma linha de Clarice prestando atenção.

Nunca tive um filhote tão atrasado em termos de treino como a Lew. Incrível como estou relaxado nesse ponto. Mas ela tem uma função muito maior aqui em casa. Com TODO O CARINHO do mundo ela nos trata como se sempre nós precisássemos de atenção.

E aquele olhar amarelo, louco, que enrruga a testa pra prestar atenção, nos completa. Mas quando treina ela é melhor ainda. Quase como o ditado "quando sou boa sou boa, mas quando sou ruim sou melhor ainda". Ou algo assim. hehehe.

Bom Lew, feliz aniversário, sua LOUCA.



Tags:

LEW

Ah uma Brasa |oo -w- oo| sem placa

escrito por Fabi Estiga nesta data  27. julho 2017 21:59

Hoje consegui rodar um pouco novamente com a Brasablue. Fui rápido até o posto e depois dei uma voltinha pelo quarteirão. Primeira vez que usei a alavanca nova. Os engates ficaram sensacionais.

Muitos pequenos detalhes, como é complicado montar um carro. Cada parafuso tem que ser pensado, do contrário não funciona. E ai você vai pegando peças novas e misturando com partes antigas, não fecha. Adapta, não dá. Compra outra peça, compra um parafuso novo.

Esses dias achei que tinha colocado uma das lanternas traseiras no lixo. Nem foi pelo valor, 25 reais. O problema é encontrar duas iguais. Porque tem que ser com o mesmo nível de desgaste. No final achei ela. Estava embalada, guardada esperando o dia do encaixe no carro.

A foto ao lado é de um encontro que fomos em fevereiro. Um mês depois eu comecei a fazer eu mesmo, em casa, a reforma. Aprendemos muito nesses seis meses.

Na traseira tem pouca coisa nova. Só as lanternas e o para-choque. O resto é o que já estava no carro. A tampa retirei fora, o vidro levei numa empresa especializada pra retirar. Foram 40 dias até voltar pro carro. Borracha da tampa trocada, carpete novo...

Agora em agosto é aniversário de um ano que ela está com a gente. Bem diferente do que ela era. Não vou conseguir deixar ela pronta até o dia 15 de agosto, mas é um dia após o outro. E pra quem esperou 36 anos por uma reforma de verdade, consegue esperar mais dois ou três meses.



Tags: , , , ,

Ah uma Brasa

Top20 Linkin Park - 02 - From the Inside

escrito por Fabi Estiga nesta data  26. julho 2017 22:59

(Take everything from the inside/Gravataí 17 graus) Começamos com Crawling, do primeiro "disco" do LP, e vamos agora para uma do terceiro! From the Inside tem os contornos das músicas do final da década de 90. Mesclando partes calmas e leves com refrões agressivos, guitarras pesadas e os vocais rasgados.

From the Inside tem aquela mistura bem característica dos Vocais do Chester com o RAP do Shinoda. É um lugar comum da banda, podemos considerar uma característica. Várias músicas não tem, mas em vários grandes sucessos o mix está lá.



Tags:

Música

Ah uma Brasa |oo -w- oo| montando

escrito por Fabi Estiga nesta data  25. julho 2017 12:22

(I got a long way to go | And a long memory | I've been searching for an answer | Always just out of reach/ Gravatai 24 graus) Então que a Brasília está sendo montada novamente. Falta ainda pintar as portas e o teto, além de finalizar a frente, novamente. Deixando tudo igual.

Já coloquei o carpete novo com forração antiruído na traseira, as borrachas são novas também, logo da BrasíliaLS instalado, placa no lugar com suporte pintado de preto... faltam os parachoques e as lanternas. Que espero colocar hoje no fim da tarde. Além da churrasqueira.

É um carro cheio de imperfeições, está ficando a minha cara, todo malacabado, kkk. Abaixo ela como estava quando comecei a fuçar na traseira. Há dois meses atrás em 18/05. E ela dia 18/07. 



Tags:

Ah uma Brasa

Top20 Linkin Park - 01 - Crawling

escrito por Fabi Estiga nesta data  24. julho 2017 12:07

(Fear is how I fall/Gravatai 27 graus) Incrível eu não ter feito um top 10 do LP ainda. Ruim eu fazer isso agora depois da morte do Chester. Minha homenagem é pequena, só vou elencar aqui as 20 melhores. Pra mim seria impossível escolher 10. E acho que minha lista de melhores tem 30. Então foi deixar 10 fora.

Pra começar Crawling, do primeiro disco, chamado Hybrid Teory. Que é muito bom. Você escuta todo sem problemas, porque todas são boas. São seis ou sete sucessos.

O pulo do gato do Linkin Park não era uma fórmula nova. Misturar uma batida eletrônica, com rock e rap, e um vocal rasgado. Não tinha novidade nisso. Talvez nem foi esse primeiro disco que mostrou do que o Linkin Park era capaz. O que eles fizeram depois foi muito além. Como cartão de visitas, reciclar ideias e fazer bem feito foi ótimo.

Então, abaixo, Crawling:



Tags:

Música

#dUsTiXa - bluebugtour2017

escrito por Fabi Estiga nesta data  24. julho 2017 09:34

(seguir viagem, tirar os pés da terra firme e seguir.../Gravataí 12 graus) Um belo dia de sol de domingo, uma vontade de ir para a estrada e alguns destinos pré-definidos. Fomos até Santa Cruz do Sul, cidade que fica 150km distante de Porto Alegre, de colonização alemã.

Antes de sair de casa peguei umas possibilidade de pontos turísticos. Eram algumas opções, 12 no total, no entanto peguei 6. Acabamos passando em quatro, e dois não estavam na lista inicial.

Bluebugtour eu traduzo como Turnê do Fusca Azul, porque tem muito Fusca no interior do RS. A porradaria acabou com 2x1x1 pra Vívian. Não foram tantos Fuscas.

Passamos muito tempo num Parque em Santa Cruz, que tinha muitas atividades e trilhas. Não fomos preparados para as trilhas. Mas o Théo aproveitou bastante. Parede de escalada, arvorismo e tirolesa beeem grande. Parque da Gruta dos Índios, recomendo. Bom pra levar umas cadeiras, um chimarrão e perder umas horas.

Nossas almoço foi na Paragem, um restaurante que tem um antiquario ao lado. Muita coisa, mas muita coisa velha, algumas mais novas. Comida boa, dava pra ter comido o dobro, mas preferimos dar continuídade ao passeio.

E depois fomos até o Rancho América, outro lugar com muita coisa antiga. Eles tem uma pegada mais estrada, com muita coisa relacionada a carros e motos. É mais a minha cara. O lugar é mais fechado e a poluição visual cria um ambiente único. Você olha para um canto e vê algo legal. Olha novamente pro mesmo lugar e vê outra coisa...

É insano e cansativo, muita informação.

Os outros destino a gente deixa para uma próxima vez. São muitos destinos e a gente precisa conhecer lugares novos, esses já estão meio batidos. Mais no instagram:

@fabiestiga @theoestiga @vivianrazel



Tags:

On the Road

Ah uma Brasa |oo -w- oo| louco pra andar

escrito por Fabi Estiga nesta data  21. julho 2017 09:08

(eu quero é ver o ôcooooooo/Gravataí 7 graus) Ontem coloquei mais tinta na Brasablue ficou show, mas tem algumas inperfeições na preparação. Terei que refazer algumas partes. É gasto de tempo e de material, mas infelizmente eu não sou profissional. Estou aprendendo com ela.

O problema é que retocar uma parte e não pintar outras é complicado. Dá diferença entre as partes. isso eu aprendi num programa desses de TV que reformam carros. kkk.

Um Upgrade que fiz dia desses foi a alavanda do câmbio. Comprei uma EMPI média. Pra quem não conhece a marca e o que ela faz, basicamente... ela encurta os engates porque eleva o ponto onde o movimento de alavanca propriamente dito é feito. Sem falar que é maior e tem o acionamento da ré pelo gatilho.

Preciso revisar todo o sistema de câmbio, porém é algo que não estava programado para agora. Quando fizer isso quero tirar o motor junto para revisar tudo, porém nem sei onde deixar essas peças. Essa alavanca acabou com um problema que eu tinha, que era um cuidado extremo para não arranhar a caixa quando estava tentando engatar a segunda, quase entrava a ré.

A posição é parecida, mas agora com o gatilho não tem mais esse problema.



Tags: , , , ,

Ah uma Brasa

Chester Bennington

escrito por Fabi Estiga nesta data  21. julho 2017 08:54

(In these promises broken, Deep below, Each word gets lost in the echo/Gravataí 8 graus) Ontem um dos grandes vocalistas dos último 20 anos morreu, Chester Bennington, do Linkin Park foi encontrado morto. Não vem muito ao caso discutir se foi morto ou se mataram.

Sou muito fã da banda é óbvio do Chester, e estou sem saber o que dizer.



Tags: ,

Música

Saltos altos

escrito por Fabi Estiga nesta data  18. julho 2017 10:02

(de carroça ou caminhão, de carro ou caminhando a pé, eu vou/Gravataí 4 graus) Nem me lembro quanto tempo faz, mas pedi umas asas de saltos pro Aurélio, fiz o pedido. Se fosse no mercado livre teria negativado ele. hahaha. Pela demora.

Agora temos cinco pares de asas e temos mais condições de treinar em casa. Antes, com dois apenas nossos treinos eram bem deficitários. Salto túnel e salto. Salto, slalon, túnel, salto. Agora dá pra fazer um jumping bem legal. A gente até tem espaço pra isso.

É claro que dentro das nossas filosofias de treinos isso é o que queremos e fazer mesmo. Não mais que cinco ou seis obstáculos. Menos é mais pra motivação.



Tags:

Agility

Ah uma Brasa |oo -w- oo| gimme fuel

escrito por Fabi Estiga nesta data  17. julho 2017 11:43

(pro paraguai ela não quer viajar/Gravataí 9 graus) Sexta-feira, depois de uma semana parada, fui ligar a Brasablue. Não ligou de primeira. Carro "velho" se não liga você já passa a lista na cabeça. A primeira coisa é bateria e gasolina. Mas tentei novamente ligar, porderia ser o tempo parado, não pega de primeira mesmo e ao acelerar o carro o cabo do acelerador estourou.

Sem ter um reserva, tenho apenas para carburação simples do Fusca, sai pra comprar. Troquei, ok. Nunca havia feito isso, mas vejam como é simples fuçar em Volks a ar. É muito simples. Já comprei gasolina também, porque se fosse uma coisa ou outra eu já teria a solução para outro problema. Nem tentei ligar novamente antes de adicionar os cinco litros ao tanque.

Não ligou. Era outro problema. Poderia ser entupimento do sistema de alimentação.

Mas ai  já era sexta a noite. Fiquei até as 21 horas, aproveitando o calor de inverno, 20 e poucos graus, repassando os problemas depois de ver um vídeo do canal do Tonella, um dos papas do Aircooled no Brasil. Sabe demais. Fiz uma lista de peças pra comprar pra resolver o problema e ou fazer uma manutenção preventiva.

Entre os ítens estavam: bomba de combustível, baquelite, filtro de combustível e mangueiras novas. Não achei que o problema pudesse ser no tanque, pescador e tals. Mas poderia ser a ligação até lá. Pouca gasolina (apesar de usar apenas aditivada, que deveria deixar menos resíduo), no tanque poderia causar entupimento.

No sábado pela manhã assisti ao treino da F1 e fui pra loja de peças. Comprei um monte de coisas e gastei 100 reais. Cara, é muito pouco. Comecei fazendo um teste da ligação do cano que trás combustível da frente do carro até o motor. Liberado, Vìvian ficou escutando na boca do tanque eu assoprar e fazer bolhas.

Depois troquei o filtro de combustível e uma parte da mangueira, que liga o cano que vem do tanque até o filtro. Fiz uma garrafinha com gasolina pra jogar direto nos carburadores e obrigar o motor a trabalhar. É difícil porque são dois carburadores. A Vìvian ficou dando a partida enquanto eu acelerava direto no motor e jogava gasolina nos carburadores.

Depois de três tentativas ela ligou!!! Mas logo surgiu um vazamento no cano que chegava na bomba de combustível. Óbvio, você troca parte do sistema e aquele cano melhor estava jogando mais combustível em outro que já estava com sua capacidade ruim. Talvez até mesmo com algum entupimento. Basta ver o estado do filtro que estava lá.

Outro cano que estourou foi o que fica bem perto do tanque. Vazou bastante gasosa dali também.

Troquei todas as mangueiras e o filtro. A bomba não consegui porque não tinha a chave correta. É um ponto muito apertado do carro que precisa de uma em meia lua.

Ai fui fazer outras coisas e pra ter certeza de que tinha dado certo, no final da tarde liguei ela novamente, e deixei um tempinho lá. Ficou muito bom. Acho apenas que ela ficou meio acelerada, pode ser que agora esteja chegando mais combustível aos carburadores, sei-lá. Era bom dar uma regulada nessa parte, mas fica para outra vez.

Abaixo um vídeo dela funcionando.



Tags: , , , , ,

Ah uma Brasa

Reapers

escrito por Fabi Estiga nesta data  17. julho 2017 11:17

(Eu acho que não consigo lidar com a verdade/Gravataí 8 graus) Uma das melhores bandas de Rock dos anos 2000. Muse é muito moderno, sem deixar de ser rock, com uma qualidade musical digna das melhores bandas de rock da história. Um power trio que parecem cinco. Abusam da tecnologia sem deixar de lado o que mais importa. A música.



Tags:

Música

Questão de tempo pra virar estatística

escrito por Fabi Estiga nesta data  17. julho 2017 08:55

Ontem levaram o carro da Vívian. Um domingo, meio dia, na frente de um supermercado e do lugar que vende frango assado. Vívian foi buscar o almoço e perdeu o auto.

Não tem hora, não tem lugar e eu falo, principalmente pela falta de segurança que temos ao entrar e sair do condomínio onde moramos que é apenas questão de tempo para acontecer algo desse tipo. Menos mal que não a levaram junto, nem bolsa, nem celular. Foi só o carro e os pertences do trabalho dela, que por descuido ficaram dentro do carro.

Essas coisas não tem preço. Notebook, HD externo... fotos e mais fotos, algumas que talvez apenas ela tenha. Nunca mais. É como um incêndio, de uma hora para a outra não existe mais.

Quando você pensar sobre roubos, furtos e afins, você não deve pensar em "SE" vai ser. Deve pensar em "QUANDO" vai ser.



Tags:

Lamentável

O que você faz pelo e o quanto você pode reclamar

escrito por Fabi Estiga nesta data  10. julho 2017 00:37

Na teoria, temos de liberdade de expressão e redes sociais, você pode falar o que quiser. No entanto algumas pessoas pensam diferente e acham que você só pode falar se você faz algo. É um tipo de pagamento com serviços.

Quanto vale 7 mil postagens? O quanto eu posso falar? O quanto já falei ou será que ainda tenho algum crédito? Pois bem, no agility, aparentemente você só pode falar se tiver feito muito, mas muito mesmo, pelo esporte. Se você apenas compete não pode. Se você escreveu, editou uns vídeos, tirou umas fotos, ai você não fez nada e não pode falar nada.

Se você compete e paga teus "impostos" em dia, só pode assistir.

A gente está vendo neste momento, sem motivo algum, uma elitização do nosso agility. Aumentos nas taxas e final dos descontos em provas nacionais são dois fatores. O primeiro por si já vai diminuir o número de inscritos, e o segundo vai frear a participação de estrangeiros em provas de nível superior.

São Paulo detém o melhor nível de duplas, embora o agility lá tenha minguado nos últimos cinco anos. Isso é possível ver no número de inscritos. Algumas escolas, antes fortes, nem existem mais. Desculpe, existem, mas o Agility interessa tão pouco, que pouca ou nenhuma atenção é dada ao "esporte". Todavia o nível está lá. Em um nacional no estado, as duplas de fora podem medir suas forças contra os melhores.

Isso é bom, desculpe, ERA bom para ambos os lados.

Mas parece que não querem mais isso. Como se fortalecer o nível técnico em outros estados fosse perigoso, e não fosse fomentar o esporte. Como se ter 20 provas por ano já não fosse uma vantagem por si só.

Querem fortalecer os regionais, ok, tá certo. Onde estão as medidas para tornar tal vontade possível? Nem quem é de São Paulo consegue ver vantagem em realizar provas em São Paulo. Imagine outros estados?

Estados como o meu, onde não temos 20 duplas com carteiras. E temos umas 12 ou 15, dependendo da necessidade, mas não vamos "fabricar duplas" para uma prova. Só que alguns estados nem 5 tem.

Não precisava ser assim, poderia ser bem mais fácil, bem menos desgastante, bem mais amigável e com mais informação. Na verdade hoje, pessoalmente, queria apenas não ser tão ignorante, pois não consegui chegar ao nível de pensamento, onde aumentar as taxas aumentará o número de inscritos, onde aumentar inscrições tornará o esporte mais atrativo.

Alguém falou que o Agility vai virar Golf. Olha... não está longe. E se virar eu vou achar péssimo, porque não vejo graça nos carrinhos elétricos.



Tags:

Agility

Fabi Estiga

Mais, nas redes sociais.




Agility Esporte - divertimento acima de tudo. Se você faz agility e não se diverte é porque está fazendo errado. Acima de qualquer coisa respeite seu cão, lembre-se que ele nunca erra, não tem culpa e não pediu para praticar o esporte. Assim o bem estar de ambas as partes é primordial sempre. "Praticar é preciso, divertir-se é necessário!"