com que tênis eu vou, na prova que você me convidou

escrito por Fabi Estiga nesta data  4. agosto 2015 00:16

Caras, alguns assuntos são extremos e importantes pra este que bloga quase diariamente aqui e compartilha insanidades no Face e outras redes. Caixas transporte, carros, números e tênis. Uniformes em geral.

Mas o calçado sempre foi algo importante. As chuteiras eu aposentei. Não tem coisa pior. Ter que usar dois números a mais pra quem tem um pé 35 é beleza. Mas quando seu número normal já é 42, e mesmo com o 44 só fica confortável quando rasga do lado, as alternativas precisam ser outras.

Ao lado os meus tênis de 2011 até o presente momento. O bem lá de baixo, Reebok, é até mais antigo. Agora estou desfrutando dos prazeres deste AX2. O Laranja é mais vermelho do que aparece na foto.

Pontos importantes

1. Tração - até sacrifico um pouco o conforto se o tênis for rápido. O Kanadia que tenho aperta um pouco o peito do pé, mas não esmaga os dedos como uma chuteira, porém a tração que ele entrega é muito boa. O solado tem um ótimo grip;

2. Conforto - se você pensar que vai ficar um minuto em pista, o conforto é secundário em um tênis pro agility. Por esse motivo coloquei a tração em 1º;

3. Estética - parece besteira, mas quando vejo um tênis penso em como ele ficaria correndo em uma pista. Muitas cores não me agradam, em geral o preto me atrai mais, embora alguma outra cor, como o vermelho por exemplo, seja aceitável;

4. Durabilidade - o AX1 foi revesado com outro tênis Reebok que eu tinha. Duraram cerca de três anos. O Kanadia aguentou a temporada 2014/2015 praticamente sozinho, abriu o bico nos últimos dois meses. Espero que o AX2 tenha uma vida parecida com o 1. Mais pra frente compro outro tênis para provas e deixo ele para treinos, no lugar do Kanadia.

Abaixo, Café com Agility:



Tags: , , ,

Agility | Virado em perna

Fabi Estiga

Mais, nas redes sociais.




Agility Esporte - divertimento acima de tudo. Se você faz agility e não se diverte é porque está fazendo errado. Acima de qualquer coisa respeite seu cão, lembre-se que ele nunca erra, não tem culpa e não pediu para praticar o esporte. Assim o bem estar de ambas as partes é primordial sempre. "Praticar é preciso, divertir-se é necessário!"