Ted, Lola, Nina, Lock, Ártemis

escrito por Fabi Estiga nesta data  2. junho 2011 22:54
Desses cinco dois me surpreenderam muito. Primeiro foi Lock. Do nada, lá em Descalvado apresentaram um desempenho logo na estréia. Eu vi as primeiras pistas dele. Deu uma arrancada da 3ª para a 6ª etapa que praticamente garantiu o título do Standard GZero no XII Brasileiro. Curiosamente, Raphael, seu condutor largou o agility.

Depois Ted. Eu já conhecia o Andreas, ele é aqui de São Leopoldo. Treinou algumas vezes aqui na Amigo Cão. Quando fez sua estreia, no Dog World, antes de entrar em pista parecia meio inseguro sobre o que aconteceria quando ficasse sozinho com seu cão em pista. Na verdade foi muito melhor do que eu esperava.

Lola é um Yorkshire daqueles que você pensa de cara que é dos mais mimados, talvez até seja. No entanto em pista segue seus dois condutores. Nâo ao mesmo tempo, claro. O desempenho não variava muito, na minha opinião pelo menos, entre Andrea e Marcio. Posso até estar errado. Talvez Andrea seja mais constante na condução.

Nina e Claudia, sua condutora, é uma história interessante que merece inclusive ser contada um dia. Um daqueles casos de amor integral, pelos cães e esporte. Fome e vontade de comer. Acho que colocamos a dupla na lista mais pela história que conhecemos, contada pela Claudia numa conversa sem pretensão, do que em si pelo desempenho que foi muito bom.

Pra finalizar a Ártemis, conduzida pela Thais lá de Brasília. As estreias foram importantes para nós antes de escolher as duplas. Começar bem, causar impacto. A gente sempre acha que poderia ser melhor. Os Australians vivem aparecendo no agility, vem e vão, não ficam. Por ser de outro estado, pela estreia e pelos resultados mereceu o que todos os outros quatro mereceram. Vencer.



Tags:

Agility.ESP.BR

Fabi Estiga

Mais, nas redes sociais.




Agility Esporte - divertimento acima de tudo. Se você faz agility e não se diverte é porque está fazendo errado. Acima de qualquer coisa respeite seu cão, lembre-se que ele nunca erra, não tem culpa e não pediu para praticar o esporte. Assim o bem estar de ambas as partes é primordial sempre. "Praticar é preciso, divertir-se é necessário!"