Investimento X Patrocínio

escrito por Fabi Estiga nesta data  24. outubro 2011 14:12

Foto da Kátia, acima. A Carol colocou muito bem nos comments sobre a questão patrocínio para outras áreas do Agility. Eu vejo dinheiro que precisa ser gasto. No caso da seleção é patrocínio. O dinheiro vem. Em troca alguém dá alguma coisa. Exposição na mídia, direito de imagem, enfim... algo que tenha valor.

Outras áreas, que são tantas que aqui não vou identificar, até porque já fiz isso em outras oportunidades, precisam de investimento. Vender a seleção como os melhores buscando resultados relevantes para nosso país soa tão bom quanto as chamadas da Globo "venha torcer pelo Brasil" ou "o Santos é Brasil na Libertadores". Vende mesmo sendo ufanismo desnecessário pra quem gosta do assunto em discussão, já que é tão bom quanto ruim qualquer coisa, muito mais o agility, virar moda. Investir em certos pontos seria interessante, patrocinar não. Patrocinadores nem sempre são investidores, querem muitas vezes resultados imediatos.

O que o Agility nacional precisa é de mais escolas. Faltam escolas em todos os lugares, faltam alternativas para treinar, inclusive mais baratas. Numa dessas idas pra Sampa fiquei sabendo de uma história interessante. Uma alemã, acho, veio ao Brasil com seu cão e foi numa escola perguntar quanto custava para treinar. O valor era mais alto do que ela pagava na Alemanha.

Nem vou entrar em questão de valores, até porque não sei as cifras. Vejam apenas que há um paradoxo interessante. Onde o Agility é mais forte treinar é mais barato. Essa inversão de valores coloca no chão nossa estrutura não acham? Nesse caso é claro. Não vou sair atirando que em todo e qualquer lugar da Europa é assim.

O que vejo aqui é falta de intercâmbio.

Treinadores não podem ser matemáticos, donos de fórmulas impossíveis para a grande maioria. Como chegar ao resultado (X + Y = um bom cão) precisa estar ao alcance de todos. Óbvio que isso é mais uma utopia ridícula, um socialismo agilitísta. Algo que nesses anos 10, onde a União Européia salva bancos privados, não é tão inverossímil.

Finalizando, o que escrevi sobre patrocínio para a seleção é para seleção. Pra outras áreas precisamos de investimento, porém antes de gastar dinheiro existe muito a ser feito sem que precise tirar um centavo do banco.



Tags:

Agility

Comentários

24/10/2011 17:36:41 #

Artur Pires

Fabi

Para que conste. Em Portugal a inscrição custa 10 euros = 24 reais e o segundo e terceiro cães 5 euros = 12,00 reais . o quarto em diante é grátis.
Ai compreendo que não haja dinheiro para seleções agora aqui.......

Abs
Artur Pires

Artur Pires Brasil |

24/10/2011 17:37:18 #

Artur Pires

E se tiverem 60 inscritos é dia de festa.

Artur Pires Brasil |

24/10/2011 18:45:16 #

Carlos Henrique da silva

Oi Fabi eu acho na minha humilde opinião que se podia investir em publicidade ,buscar mais abertura nas mídias,e se buscar a ter mais escolas pelo brasil,quem sabe se´promover mais cursos com um custo menor em estados diferentes pelo brasil ,para se formar mais instrutores de agility,eu sempre achei que se podia fazer um trabalho com veterinários e pet shops, para se divulgados os eventos.
Bom desculpe se falei bobagem ,mas a intenção e das melhores sempre.
Abs

Carlos Henrique da silva Brasil |

24/10/2011 18:54:21 #

Miguel

Concordo quando diz que o suporte deveria ser encarado como investimento, mas quantos colaboradores pensam da mesma forma e aceitariam isso?

Difícil essa questão dos valores. Penso que as escolas cobram "caro" para se manterem com poucos alunos, por outro lado, baixar o preço não é garantia de novos alunos. Recordo que no passado, em algumas apresentações, era oferecido três aulas grátis para quem quisesse conhecer e se aproximar do agility... Mesmo sem saber o valor, ninguém aparecia.

Outro problema é que a medida em que a economia do país cresce, os espaços se tornam cada vez mais caros (vide CTA). Não creio que o dinheiro seja o principal impecilho para evolução do esporte, temos esportes caríssimos com milhares de praticantes. Como sempre dizemos, o agility pode ser praticado em praça pública com meia duzia de obstáculos improvisados. Acho que o problema é cultural, apenas uma questão das pessoas descobrirem o agility como esporte e deixarem de pensar se tratar de "coisa de adestrador".

Sobre intercâmbio, acho que é mais por interesse pessoal. O seminário de Alen e agora esse da Jenny é aberto a todos, mas acaba ficando praticamente restrito ao pessoal da escola. O Felipe está constantemente em Curitiba e, pelo menos para mim, nessa prova já ficou evidente a evolução do Marco e de seu filho. Basta buscar...

Miguel Brasil |

24/10/2011 23:53:51 #

Carlos Henrique da silva

Bom acho que a questão do valor das aulas não e problema ,acho que quase todas as escolas oferecem a primeira aula grátis  o preço aqui no RJ também não e um absurdo  .acho que  muitos donos de cães são preguiçosos rsrsrs,e não quer ter trabalho e acha que somente uma voltinha no quarteirão e o suficiente ,mas em vista de outros esportes com cães acho que o agility ,conseguiu muito mais que schutz ou mondio  ,visto que o agility e bem mais recente que estas modalidades e tem mais gente que pratica agility,eu não me lembro de ver ou saber de uma prova de schutz com mais de 30 duplas.
E claro que também não é motivo para se acomodar e sim´para buscar sempre mais.

Carlos Henrique da silva Brasil |

24/10/2011 23:53:51 #

Carlos Henrique da silva

Bom acho que a questão do valor das aulas não e problema ,acho que quase todas as escolas oferecem a primeira aula grátis  o preço aqui no RJ também não e um absurdo  .acho que  muitos donos de cães são preguiçosos rsrsrs,e não quer ter trabalho e acha que somente uma voltinha no quarteirão e o suficiente ,mas em vista de outros esportes com cães acho que o agility ,conseguiu muito mais que schutz ou mondio  ,visto que o agility e bem mais recente que estas modalidades e tem mais gente que pratica agility,eu não me lembro de ver ou saber de uma prova de schutz com mais de 30 duplas.
E claro que também não é motivo para se acomodar e sim´para buscar sempre mais.

Carlos Henrique da silva Brasil |

25/10/2011 21:39:55 #

Luiza

Cara, aqui em brasília n tinha agility direito pq as aulas era muuuito caras!
Não é qualquer um que está disposto a pagar isso. Agora temos opções mais baratas.

O que eu acho legal: A Cãopetição tem o esquema de open que eu quero fazer algo parecido aqui, pq tenho a impressão, pela minha experiência, de que a competição dá um rumo pro aluno, dá uma sensação de objetivo, que todo esporte deve ter.

Acho que isso é um pequeno passo que cada escola, em qualquer estado, pode fazer e que pode ajudar Smile

Luiza Brasil |

26/10/2011 00:17:53 #

fabi

Brigado Luiza. Realmente cada estado tem a sua realidade. O que é barato no Rio, como o Carlos colocou pode ser caro aqui no RS ou ai em Brasília. Se compararmos com outros esportes o agility é caro sim.

fabi Brasil |

27/10/2011 02:04:58 #

Neto

existe muito da questão cultural mesmo, na grande maioria os donos são preguiçosos sim, acham que um quintal que seja teoricamente grande é suficiente pra o cão ser feliz, ou dar a volta no quarteirão já está de bom tamanho, ainda existem os que competem mas não treinam nem seus próprios cães, ficando assim a cargo dos adestradores das escolas, perdendo assim grande parte da "graça" do agility que é a ligação que criamos com os dogs, garanto a todos que o problema não é $$$, vejo as pessoas reclamarem de dirigir 10km até o kennel club daqui de pernambuco onde existem aulas grátis de adestramento e agility aos sábados, também vejo dizerem que é complicado levar o cão no carro, que é cansativo ou qualquer outra desculpa esfarrapada, que se dado o nome correto seria preguiça, o que vale é que de 100 fica 1, então o lema é fazer os números andarem rápido... e trabalharmos para termos uma cultura que valorize mais a qualidade de vida do cão e o relacionamento com o "dono", ai sim o agility crescerá, aparecerá e ganhará visibilidade (leia-se patrocínio). ;)

Neto Brasil |

Fabi Estiga

Mais, nas redes sociais.




Agility Esporte - divertimento acima de tudo. Se você faz agility e não se diverte é porque está fazendo errado. Acima de qualquer coisa respeite seu cão, lembre-se que ele nunca erra, não tem culpa e não pediu para praticar o esporte. Assim o bem estar de ambas as partes é primordial sempre. "Praticar é preciso, divertir-se é necessário!"