Lisa/Tereza 4 - as cegas

escrito por Fabi Estiga nesta data  5. abril 2013 15:13

Li o que as pessoas escreveram sobre o Seminário: incrível, fantástico, inacreditável, blá blá blá. Sempre escrevem isso sobre seminários. Não que esse, Lisa/Tereza, tenha sido diferente. Normalmente é impactante, porém poucas pessoas param e pensam sobre o que realmente vai fazer a diferença no futuro.

Na minha visão, ou na falta dela, mora a questão.

Não ver o que o cachorro está fazendo, especificamente no dia em que a Lisa esteve conosco, foi o que mais me atrapalhou. Confiar tanto na tua condução, na capacidade de mostrar o próximo obstáculo, ao ponto de esquecer que o cachorro está ali em algum lugar. E isso vai totalmente contra um princípio básico do agility de 10 anos atrás: "nunca tire os olhos do cachorro".

No vídeo abaixo temos o caso do duplo blind. Algo que nunca tinha feito na vida. É fácil, desde que você não olhe pro cachorro. E blind olhando não é blind. Em parte só consegui também pelo cansaço do Bola, que no primeiro dia estava acabado. Fora de forma como o condutor.



Tags:

Comentários

5/4/2013 16:27:30 #

Laura

Isso é uma coisa complicada...Tirar os olhos deles é tudo o que "não queremos"... Mas parte do principo que tudo é "treinável"... Se o dog estiver na mão, e a pessoa acostumada com isso, e principalmente, tiver uma noção perfeita de timing, isso é viável... No curso, pro Otto, ouvi muito que era a melhor condução pra ele... Mas tem q confiar muito, saber muito, treinar muito... Queria muito aprender tudo isso...treinar... mas, como reles mortal, vai ser algo bem difícil....

Laura Brasil |

5/4/2013 17:54:52 #

fabi

Essa pista Laura eu fiz umas duzentas vezes. Mas foram inúmeras as oportunidades em que eu sequer sabia onde o cachorro estava. Esse é o problema. Porque se você olha já era. Dá errado. Acho que é possível pra qualquer um, porém como você bem disse, precisa de muito treino.

fabi Brasil |

5/4/2013 17:14:48 #

Daniel Nakamura

Blind mesmo só o SW faz...rsrs

Daniel Nakamura Brasil |

5/4/2013 17:53:07 #

fabi

Digna de RA essa piada Dani. hahaha

fabi Brasil |

5/4/2013 20:25:49 #

Daniel Naka

Né?! Ruim demais...kkkk.

Daniel Naka Estados Unidos |

8/4/2013 13:08:38 #

Miguel

Passei pelo mesmo dilema após Jenny Damm. Ela insistia: Faça o movimento e acredite em seu cão que ele estará ali e centrado em você.
Hoje sei que funciona mesmo, mas como dito acima, treine.

Miguel Brasil |

Fabi Estiga

Mais, nas redes sociais.




Agility Esporte - divertimento acima de tudo. Se você faz agility e não se diverte é porque está fazendo errado. Acima de qualquer coisa respeite seu cão, lembre-se que ele nunca erra, não tem culpa e não pediu para praticar o esporte. Assim o bem estar de ambas as partes é primordial sempre. "Praticar é preciso, divertir-se é necessário!"