Com emoção ou sem emoção

escrito por Fabi Estiga nesta data  23. maio 2013 22:01

Na música, no esporte e em outros campos, reproduzir algo que alguém fez um dia é digno de no mínimo comemoração. Eu quando consigo tirar uma parte mínima de um solo do Jeff Beck ou do Jimmy Page fico super feliz.

Mas fazer o que essa menina faz é muito simples, no vídeo abaixo, é como os chineses fazem. Pegam algo e reproduzem sem história.

 

Só não é perfeito porque não tem emoção. Algo burocratico, mecânico e sem graça. Parece a Julia Roberts em uma linda mulher. "Não eu não beijo, não quero me envolver". Porra, tá no lugar errado então. Essa menina tem o mérito de ter estudado e reproduzido em 2013 algo que foi feito, creiam, em 1978. Façam as contas e verão que há 35 anos Edson Van Halen, um dos maiores guitarristas da história, gravou algo único e que milhares de pessoas conseguem reproduzir, mas que ninguém consegue sequer chegar perto de forma autoral.

Coloquei hoje no Twitter que o Rock morreu, mas na verdade não é bem assim. Ele só não morreu porque caras como Van Halen ainda estão vivos. Prova disso é ele tocando Eruption esse ano no vídeo abaixo. Porém já tivemos dias melhores, como artistas hoje estamos muito pobres.



Tags:

Música

Comentários

28/5/2013 01:55:56 #

Daniel Nakamura

Pois é, cara... tipo o solo de Beat it, tem uma renca de gente que tenta tocar exatamente igual. Pode ver que tem uma pá de vídeos no You Tube, alguns perfeitos, outros próximos, e os lixos de sempre...rs.

Na real, nem o Edison faz o solo igual. Talvez a versão ao vivo desse solo, com o próprio EVH, deva ser a pior...rsrs. Mas, o solo da gravação é único. Um dos 2 takes que gravou para a música, e que o Michael Jackson escolheu.

Daniel Nakamura |

Fabi Estiga

Mais, nas redes sociais.




Agility Esporte - divertimento acima de tudo. Se você faz agility e não se diverte é porque está fazendo errado. Acima de qualquer coisa respeite seu cão, lembre-se que ele nunca erra, não tem culpa e não pediu para praticar o esporte. Assim o bem estar de ambas as partes é primordial sempre. "Praticar é preciso, divertir-se é necessário!"