Seletivas não vingaram

escrito por Fabi Estiga nesta data  27. maio 2015 22:08

É verdade que o número de inscritos para as provas nessa temporada estiveram abaixo da temporada passada, porém é também verdade que nas Seletivas, nas quatro edições anteriores, a participação nunca foi realmente grande. Do ano passado para cá até aumentou, mas com uma variação mínima de duas duplas. Posso estar enganado, no entanto acredito que nunca passou de 80 inscritos, contando o grau 1, em nenhuma edição. E já tivemos até árbitro internacional julgando.

Foto abaixo by Artur Pires ou Miguel Ferigatto. II Copa Sérgio de Castro, 1ª edição das Seletivas.

Não caiu no gosto da galera e não chama atenção de forma geral.

Já dei essas sugestões aqui e vou colocar novamente. Campeões dos estaduais, graus 2 e 3 já classificados para as finais. Como era antigamente na Copa do Brasil. Valorizando os estaduais, que hoje falem basicamente nada, alguns estão jogados pelos cantos. Além de classificar as duplas pela regularidade, porque fazer até 5,99 de pontos de faltas é de alguma forma ser regular, também classificaria as duplas que fizessem a melhor passagem zerada, a famosa Best Lap. Porque isso daria para muitos a possibilidade de classificar mesmo sem conseguir o combinado.

Novamente, espero estar muito errado, teremos uma estrutura montada para ver um número de duplas pequeno, quando deveríamos ver uma grande festa nacional com pelo menos 100 duos no Open. Ah mas teve o Américas e Caribe. Sim teve, e nas outras quatro edições não houve nada. E nas finais teremos não mais que 10 duplas contando as três categorias, depois da peneira, visando uma vaga no Mundial.

Se você olhar para a Copa CBA desse ano, na abertura tivemos 53 duplas no Open. No Brasileiro, somando graus 2 e 3 foram 67, e os números foram em ambas as competições modestos. Existem mais duplas nesses graus, falando de forma nacional. O que deveria ser um grande desafio torna-se na verdade o caminho mais pratico e fácil para chegar ao mundial.

O que parece é que de forma geral o Agility já não chama tanta atenção, nem daqueles que praticam o esporte. E fala um cara que abertamente já elogiou o formato da competição, gosta dele, e luta todos os dias pelo crescimento do esporte.



Tags:

Agility

Comentários

28/5/2015 11:48:22 #

Miguel Ferigatto

Só sei que essa foto não é minha.

Miguel Ferigatto Brasil |

Fabi Estiga

Mais, nas redes sociais.




Agility Esporte - divertimento acima de tudo. Se você faz agility e não se diverte é porque está fazendo errado. Acima de qualquer coisa respeite seu cão, lembre-se que ele nunca erra, não tem culpa e não pediu para praticar o esporte. Assim o bem estar de ambas as partes é primordial sempre. "Praticar é preciso, divertir-se é necessário!"