Aposição ou oposição?

escrito por Fabi Estiga nesta data  23. junho 2017 19:51

(Eu quero é ver o OCO!!!! - Gravataí 17º) - palavra de 9 entre 10 donos de escola. Vou deixar um de fora mesmo sem nunca ter escutado o contrário: "agility não dá dinheiro".

Partindo dessa premissa não vejo outra solução para o agility, apenas a criação de grupos de condutores para treinar e trocar experiências será válida e essencial. Tudo isso partindo do princípio que nenhum empresário vai inverstir dinheiro para perder, ou no melhor dos cenários trocar, dinheiro.

Explicado isso posso falar o motivo desse post. Se você leu até aqui obrigado!

Eu faço parte do agility brasileiro oficial, estou cadastrado com carteira de trabalho, pagando meus "impostos" e participando desde 2006, ajudando na secretaria desde 2003. Eu acho que se você já vai nas provas já está ajudando. A diferença é que talvez eu tenha uma propensão a sempre pensar mais no agility. E me posicionar publicamente, algo que pouca gente faz.

Não apenas em relação ao agility em geral, em relação aos meus cães, minhas viagens, tudo. Também não sou do tipo que prega "se cada um fizer um pouco a coisa anda". Penso que não atrapalhando já está bom. Já diz o ditado "muito chefe pra pouco índio".

Essa minha posição dentro do agility é bem complicada. Eu confesso, não é fácil pra mim, imagine pra quem por vezes me lê e não entende os motivos. Não quero compreensão. Quero que pelo menos sejam justos. Não estou delirando, não consigo me colocar na posição de uma mulher que sofre assédio. Não sou mulher. Sendo homem sofro muito menos, não sofro.

Então é fácil me julgar quando digo que algo fará mal para alguém, como eu, que precisa das condições certas para praticar o agility, se quem julga não faz parte dessa condição.



Tags:

Agility

Fabi Estiga

Mais, nas redes sociais.




Agility Esporte - divertimento acima de tudo. Se você faz agility e não se diverte é porque está fazendo errado. Acima de qualquer coisa respeite seu cão, lembre-se que ele nunca erra, não tem culpa e não pediu para praticar o esporte. Assim o bem estar de ambas as partes é primordial sempre. "Praticar é preciso, divertir-se é necessário!"